Em cima da hora:
Queda de energia em Brotas deixa serviço da Defesa Civil fora do ar
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Feeds
  • Poetisa feirense é a única baiana vencedora do prêmio SFX de Literatura

    A solenidade de premiação vai acontecer entre os dias 11 e 13 de agosto, em São José dos Campos, São Paulo.


    29/07/2017 às 02:10h
    Recomendar

    Com versos intensos em estrofes que denunciam a violência cotidiana, a poetisa de Feira de Santana Rejane Aquino foi a única baiana entre os 35 vencedores do prêmio SFX de Literatura 2017, concurso literário que, nesta 5ª edição, reuniu 262 autores e 571 trabalhos de 19 estados brasileiros e também de outros países como Japão, Itália e Portugal. (Acesse aqui a lista dos vencedores)

    Rejane e os demais vencedores terão seus trabalhos publicados na Antologia SFX 2017. Cada um deles receberá 20 exemplares durante a solenidade de premiação que acontecerá entre os dias 11 e 13 de agosto, no distrito de São Francisco Xavier, em São José dos Campos, São Paulo.

    “Acredito que sendo selecionada para essa premiação uma mulher negra amplia a vitória! Conquistar espaços historicamente ocupados por uma classe letrada em sua maioria branca e sulista é de certa forma uma ruptura e uma resistência”, comemorou a jovem autora e completou: “ser mulher, Negra e nordestina nessa conquista dá um sabor a mais!”

    Quanto “In-lustre presença”, poema que colocou a autora feirense em destaque na competição, Rejane explica que diante do contexto social opressor e inóspito que a sociedade vive atualmente, “é importante, enquanto voz que ganha espaço, denunciar a aberrante violência que nos mata todos os dias”. “Pouco a pouco, nossa liberdade tem morrido pela nossa permissão e a falta de leis e políticas públicas eficazes, não apenas no papel mas na prática e com fiscalização”

    INFLUÊNCIAS LITERÁRIAS 

    Ao PROFESSOR REPÓRTER, Rejane revelou que escreve desde sempre “como necessidade de colocar para fora alguns gritos calados”. No entanto, foi na universidade que recebeu o incentivo necessário para revelar ao mundo a poetisa que havia dentro de si. “Recebi o incentivo de Rhana Porto (uma colega de letras vernáculas, na Uefs) que me incentivou a mostrar meu escritos para o professor e poeta Roberval Pereyr, a partir disso ele se tornou meu grande incentivador e orientador, juntamente com a professora e também poetisa Rita Queiroz que me convidou para fazer parte da Confraria Poética Feminina, um grupo seleto de poetisas baianas”.

    Rejane, que é também pós-graduanda em Produção de Mídias para Educação Online (UFBA) e em Estudos Linguísticos e Literários (UCAM), começou a escrever uma vez e não parou jamais. Sobre a quantidade de poesias escritas, ela sorrindo diz: "já perdi as contas", mas revelou ter alguns trabalhos em antologias e, em breve, pretende lançar um livro individual porque tudo a motiva escrever. 

    “Os meus gritos que muitas vezes são silenciados, o Deus que me sustenta, o ferro da vida, assaltos poéticos que vem todos os dias. Escrevo sobre tudo porque sinto e sinto muito, isso basta. Viver é um constante desaguar!”. Muitos dos seus escritos podem ser encontrados no blog (clique aqui) que ela lançou em 2016.

    VIVÊNCIA POÉTICA

    Rejane integra as seguintes antologias: II Concurso de poesia Prêmio Gastão Guimarães (Fundação Egberto Costa, 2016); Prosa e Verso, organizada por Luis Pimentel (Oficina de criação literária - 9ª Feira do Livro – Festival Literário e Cultural de Feira de Santana-BA – 2016), Confraria Poética Feminina: além da estampa, organizado por Ana Carolina Cruz de Souza (2017). 

    Mas não para por aí. A poetisa também integra a Agenda Poética da Confraria Poética Feminina, organizada por Palmira Heine; Semeando Verso - Antologia de Novos Autores brasileiros (Academia Nacional de Poesia, 2017) e a II Antologia de Poesia Brasileira Contemporânea ‘’ Além do céu, além da Terra’’- editora Chiado (2017); I Concurso de Poesia Adauto Borges (Associação Batista de Ação Social, 2017); III Prêmio Concurso de poesia Godolfredo Filho (Fundação Egberto Costa, 2017). 

    Este ano, ela também foi classificada nos seguintes concursos literários: Concurso Nacional de Novos Poetas - Poetize (Vivara Editora, 2017); Concurso Literário de Itaporanga (Fundação José Francisco de Souza, PB, 2017); Concurso Nacional Sarau Brasil (Vivara Editora, 2017).

    Possui textos publicados em blogs como Revista Graduando, De mim, Confraria Poética Feminina e nas fanpages Academia Nacional de Poesia, Pé de Poesia, Literatura e outras poéticas Baianas e nos sites Curto Conto, Escrita - Biblioteca Virtual de escritores e Academia Nacional de Poesia, Confraria Poética Feminina, de onde é diretora de comunicação. 

    O Prêmio SFX de Literatura é uma iniciativa do empresário e editor Cristovão Cursino e é realizado em parceria com as academias de letras de São José dos Campos, Caçapava, Jacareí e Lorena, e o Instituto de Estudos Valeparaibanos (IEV).

    Abaixo, PROFESSOR REPÓRTER reproduz, na íntegra, o poema de Rejane: 

    In-lustre presença

    Hoje te avistei plácido,
    Na violência do teu ninho.

    Ontem, a violência
    Sentada na casa do vizinho,
    Nos saudou.
    Lhe abraçamos com sussurros
    Rubros.

    Hoje, a violência trouxe as malas
    E pousou em nossa casa.

    Amanhã, face a face nos habitará...

    E seguimos calados e adormecidos
    Para o mais profundo abismo.

    Rejane Aquino 



Os comentários e textos não representam a opinião do portal; a responsabilidade pelo blog é do autor da mensagem.
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia