Em cima da hora:
Baile Municipal de Bezerros vende ingressos para show de Araketu
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Feeds
  • Ultrapassagens e hipertensão são os vilões dos profissionais do volante


    25/07/2017 às 05:38h
    Recomendar

    O caminhoneiro Givanildo Pereira estava com a pressão arterial alta. A aferição foi feita na manhã dessa terça-feira (25) no posto da Polícia Rodoviária Federal, na BR 116 Sul, e constatou 15/10. “Não tomei medicação hoje, por isso aumentou”, avalia.

    Givanildo é um dos muitos profissionais do volante que sofrem de hipertensão, uma doença silenciosa e perigosa. Segundo Verena Liberal, coordenadora do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), o risco é grande nas rodovias. “Muitos caminhoneiros nem sabem que são hipertensos e representam um risco nas estradas, porque estão passivos de sofrerem um mal súbito ao volante e provocarem acidentes com mortes”, destaca.

    Um dos fatores que contribuem para provocar o elevado índice de hipertensão verificado nas estradas é o consumo de inibidores de sono, os conhecidos “arrebites”, por conterem taxa alta de cafeína.

    O Projeto Check-up na Estrada é promovido, todos os anos, pelo Cerest - órgão da Secretaria Municipal de Saúde - em parceria com a Polícia Rodoviária Federal. A ação é em comemoração ao Dia do Motorista, transcorrido nessa terça-feira.

    “É uma boa oportunidade para nós, motoristas, cuidarmos da saúde aqui mesmo na estrada. Ir a uma consulta médica é quase impossível nessa correria do dia a dia”, diz o caminhoneiro Davi Andrade.

    ULTRAPASSAGENS

    Na atividade são oferecidos os serviços de aferição de pressão arterial, testes de glicemia, de acuidade visual e teste rápido de DSTs, além de aplicação de vacinas, orientações diversas e distribuição de preservativos.

    Para a PRF, o foco principal é orientar sobre as ultrapassagens arriscadas. “Aqui nós fazemos a parte educativa, com exibição de vídeos e palestras. Abordamos com mais ênfase a questão das ultrapassagens porque resultam nos acidentes mais graves”, explica a inspetora da PRF, Michele Alencar.

    Sobre a hipertensão, é definida como a pressão arterial acima de 14/9 e é considerada grave quando a pressão está acima de 18/12. Em geral, a pressão arterial elevada não tem sintomas. É um inimigo silencioso. Ao longo do tempo, se não for tratada, pode causar problemas de saúde, como doenças cardíacas e acidente vascular cerebral (AVC).

    Adotar uma dieta saudável com menos sal, praticar exercícios físicos regularmente e tomar medicamentos pode ajudar a baixar a pressão arterial.



Os comentários e textos não representam a opinião do portal; a responsabilidade pelo blog é do autor da mensagem.
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia